Find best premium and Free Joomla templates at GetJoomlaTemplatesFree.com

Yamabushi Dojo(Orlando - FL - USA):
Shidoshi Müller (4º dan) - +1 (407) 203-5382
+1 ((312)721-6181
[email protected]

Kami no Sui Dojo (Asa Norte - DF):
Shidoshi Mogami (61) 98192-3323
[email protected]

Tengu Dojo (Asa Norte - DF):
Sensei Santoro (61) 99236-9655
[email protected]

Shiro Tora Dojo (Cuiabá - MT):
Senpai Itiho (65) 98115-7014
[email protected]

 

Bo, Hanbo e Tanbo

BASTÃO LONGO, MÉDIO E CURTO

O conjunto técnico que agrupa os bastões é denominado Bojutsu e é considerado uma especialização dentro do Sho Kumo Ryu Ninjutsu, graças a sua complexidade técnica. 

O Bojutsu é composto por três bastões que variam do tipo de madeira, mas especialmente, segundo suas dimensões: 

Bo ou Rokushaku Bo: bastão longo, na medida de seis shaku (Shaku é uma medida tradicional japonesa, equivalente a um pé, ou cerca de 30 cm). Uma vez o Bo possui seis shaku, seu comprimento máximo é de 180 cm. O Bo era uma arma facilmente dissimulada e que fazia parte de disfarces comuns como os de monges ou andarilhos. Além disso, podia ainda ser usado como meio de transporte de materiais ou para a transposição de obstáculos. O Bo, em combate, se tratava de uma excelente arma para manter a distância o adversário,  bem como realizar projeções e imobilizações. 

Hanbo: bastão médio, metade de um Bo, com cerca de 90 cm. Possui no Sho Kumo Ryu Ninjutsu um conjunto técnico com mais de 50 golpes, torções, projeções e imobilizações. A origem do Hanbo é discutida, mas uma das hipóteses é que tenha se originado do uso da bainha (Saya) de uma espada, outras lendas contam que ele seria parte de uma lança partida. Seja qual for a verdade, o bastão médio mostrou-se eficiente no combate próximo. 

Tanbo: bastão pequeno ou curto, com cerca de 50 cm. O Tanbo é uma arma rápida, de fácil improvisação no meio ambiente e que possibilita tanto golpes traumáticos diretos quanto técnicas de torção e imobilização, com o uso de ataques em pontos de pressão (Atemi Jutsu), técnica fundamental durante suas aplicações. Era comum sua improvisação através de peças e instrumentos do dia a dia, como por exemplo uma flauta japonesa chamada Shakuhachi.